16 de Dezembro de 2018


     Fale conosco     Fale conosco
 
ProfissionalProfissional
GeralGeral
ConsultoriaConsultoria
HomeHome
NósNós
Na Boca do PovoNa Boca do Povo
Linguagem com PipocaLinguagem com Pipoca
Mito ou VerdadeMito ou Verdade
PublicaçõesPublicações

14/10/2010
Lucia Masini
Dia das crianças...ou como seria dedicar o dia à infância?

Rosely Sayão, em seu artigo na Folha Equilíbrio do dia 05 de outubro, intitulado Comprar ou Brincar, afirma que a frase “Não basta ser criança pra ter infância” proferida no documentário “A Invenção da Infância” não a deixa em paz.
Não é para menos. O documentário começa com o depoimento de algumas mães sobre a quantidade de filhos que tiveram na vida: vivos e mortos. Mais mortos que vivos. Muitos morreram de diarréia, ainda bebês. Outros, é importante que se admita, como esclarece uma mãe, em tom confessional, morreram de precisão. Precisão: necessidades básicas, cuidados maternos. A mãe foi direta: nem sempre era possível dar atenção aos filhos.
Numa rápida avaliação do contexto sociocultural das mães entrevistas, nós, também mães, respiramos aliviadas. Ufa! Isso não acontece na nossa realidade: nossos filhos vingam, crescem saudáveis podendo gozar das vantagens da vida protegida e feliz que lhe dedicamos. Será?
O filme prossegue, agora com depoimentos de crianças. De um lado, crianças que trabalham nas fazendas de sisal e nas pedreiras. De outro, crianças que têm muitos trabalhos a cumprir: aulas de tênis, balé, sapateado, inglês. Uns acham bom trabalhar porque assim têm dinheiro para gastar no domingo. Outros não reclamam dos trabalhos, ao contrário, acham que crianças que não realizam atividades diversas estão em desvantagem na vida.
Alguma semelhança com perspectivas de adultos? Sim, todas! Nossas crianças não estão mais protegidas em um mundo feito só para elas. Participar da vida adulta não tem sido o infortúnio das crianças de camadas mais desfavorecidas economicamente da nossa sociedade. A criança adultizada é um fenômeno de todos os grupos sociais, ainda que de natureza diversa.
Como terá sido o dia da criança comemorado ainda nesta semana? Terão os pais comprado um brinquedo ou brincado com seu filho? Terão saído para um passeio no shopping ou ficado em casa assistindo um vídeo em companhia dos pequenos? Terão dado o presente à espera de reconhecimento ou olhado mais demoradamente para os gestos do filho surpreendendo-se orgulhosos de suas conquistas mais singelas?
Muito temos falado sobre a necessidade de se dar o tempo que a criança precisa para brincar sem compromissos, mergulhar no mundo da fantasia, devanear sem hora para terminar. Mas, de fato, não basta ser criança para se ter infância. Para se ter infância é fundamental que se tenha pais sintonizados às necessidades infantis, pais que consigam discernir quando seus filhos estão a um passo de morrerem de precisão, ainda que consumam, trabalhem, dancem sapateado, joguem tênis, falem em inglês...



Assista ao documentário no portalcurtas.com.br



Voltar

Compartilhe: