15 de Dezembro de 2018


     Fale conosco     Fale conosco
 
ProfissionalProfissional
GeralGeral
ConsultoriaConsultoria
HomeHome
NósNós
Na Boca do PovoNa Boca do Povo
Linguagem com PipocaLinguagem com Pipoca
Mito ou VerdadeMito ou Verdade
PublicaçõesPublicações

Crianças que apresentam dificuldades já no início da alfabetização provavelmente são disléxicas

Mito

É preciso muito cuidado com esse tipo de diagnóstico. E muita investigação minuciosa sobre as possíveis causas dessas dificuldades, que deve abarcar observação de dinâmicas familiares e contexto escolar. Excesso de exigência por parte dos pais, que, por vezes, com as melhores intenções, acabam desconsiderando ritmos de aprendizado de seus filhos, bem como metodologias de ensino que tendem a não contemplar particularidades das crianças, impondo padrões de desenvolvimento, comumente estão por trás de dificuldades com o ler e escrever. Há crianças que necessitam de um tempo maior de experimentação antes de apreender o mecanismo da escrita, e isso não é sinal de patologia!

Vale a dica: evite pesquisar na Internet sites que elencam sinais de dislexia, procurando “encaixar” a criança. São verdadeiras armadilhas, pois tratam de forma objetiva uma questão complexa, banhada de subjetividade. Se a angústia ou dúvida for grande, procure um especialista, mas, antes, assegure-se de que se trata de um profissional ético, comprometido com a criança e que não vá observá-la a partir de padrões de comportamento. Procure, também, pesquisar como a escola tem trabalhado com leitura e escrita, se as situações a que seu filho está exposto, e que envolvem letramento, são, de fato, significativas, se os profissionais estão sabendo lidar com as diferenças entre as crianças ou se o ambiente escolar está muito opressivo. E, claro, faça uma reflexão sobre o modo como tem lidado com seu filho no cotidiano. Você é um pai ou uma mãe aberta ao diálogo? Você lê histórias para seu filho de forma prazerosa? Você o incentiva a escrever, respeitando o momento que se encontra nesse aprendizado?

Se você quiser saber mais sobre dislexia, clique aqui


Voltar

Compartilhe: